Durante XVII Congresso Peruano de Queimaduras, presidente da SBQ é eleito próximo diretor científico da Felaq

Publicado em 29 de novembro de 2017

O XII Congresso da Federação Latino-americana de Queimaduras e o II Congresso Peruano de Queimaduras, realizados entre os dias 8 e 11 de novembro, em Lima, Peru, representam uma experiência rica de estudos e atualizações para toda a América Latina, conforme comenta o presidente da Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ), Luiz Philipe Molina Vana.

Vana, que também é tesoureiro da Federação Latino-americana de Queimaduras (Felaq), conta que o conhecimento e prática expostos no congresso foi compartilhado por representantes de inúmeros países, assim como novos membros da Felaq, oriundos da Espanha e Portugual. “Trocamos experiências com colegas que têm os mesmos problemas e dificuldades que nós”, ressalta. Para o cirurgião plástico, embora os países integrantes da Felaq não tenham recursos ilimitados, como os Estados Unidos ou as nações europeias, devem se espelhar em sistemas e procedimentos de primeiro mundo, encontrando soluções a curto prazo.

O presidente da SBQ é um dos 10 congressistas do país que estiveram no evento e um dos quatro brasileiros membros da direção da Felaq. O cirurgião plástico conta que se sentiu honrado em representar o Brasil ao lado de países latino-americanos, sendo eleito o próximo diretor científico da Felaq. “Isso mostra que o trabalho realizado no Brasil está sendo observado em outros países”, acredita.

Presença marcada
Durante os quatro dias de congresso, o presidente d a SBQ liderou inúmeras atividades. No pré-congresso, realizado no dia 8, Vana ministrou um curso sobre manejo de feridas. Nos dias 9 e 10, respectivamente, explanou sobre Desbridamento com ultrassom no paciente agudo e a Avaliação de cicatrizes e dos resultados dos tratamentos. Sobre o curso de desbridamento, o cirurgião ressaltou ser uma nova tecnologia que tem mostrado grande potencial, utilizada para remover tecido morto por causa da queimadura em regiões nobres, como a mão. “Os resultados são inacreditáveis! É perfeito e preserva os tecidos nobres como vasos e tendões que na mão são muito superficiais”, evidencia.

Também com a presença do presidente da SBQ, uma mesa-redonda foi realizada com o tema Como fazer campanhas de prevenção de queimaduras na América Íbero-Latina que sejam efetivas? e contou com a presença de representantes da Colômbia, Chile, Guatemala e México. Segundo Vana, o debate proporcionou a exposição de novas ideais na área. “É incrível ver como nossos vizinhos têm problemas similares aos nossos, isso também acontece nas campanhas de prevenção”, assevera.

 

 

 


Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>